sábado, 23 de maio de 2015

Resenha: A Estrada da Noite



Título do livro: A Estrada da Noite
Autor: Joe Hill
Gêneros: Terror, Suspense
Editora: Arqueiro











Sinopse: A Estrada da Noite

Uma lenda do rock pesado, o cinquentão Judas Coyne coleciona objetos macabros: um livro de receitas para canibais, uma confissão de uma bruxa de 300 anos atrás, um laço usado num enforcamento, uma fita com cenas reais de assassinato. Por isso, quando fica sabendo de um estranho leilão na Internet, ele não pensa duas vezes antes de fazer uma oferta. Por 1.000 dólares, o roqueiro se torna o feliz proprietário do paletó de um morto, supostamente assombrado pelo espírito do antigo dono. Jude não tem medo de encarar mais um, mas tudo muda quando o paletó finalmente é entregue na sua casa, numa caixa preta em forma de coração. Desta vez, não se trata de uma curiosidade inofensiva nem de um fantasma imaginário. Sua presença é real e ameaçadora.

Embarque nessa estrada


"A Estrada da Noite" é um livro escrito por Joe Hill. Para quem não sabe, ele é filho de Stephen King. Já ouviu falar naquele famoso ditado “Filho de peixe, peixinho é?”, então...
Eu comprei "A Estrada da Noite" em um site. Na época, estava em promoção por apenas R$ 9,90. E eu amo promoções. De livro, então, nem se fala. Li a sinopse e me interessei imediatamente.
"A Estrada da Noite" possui poucos personagens, um número bem menor do que estou acostumada a ler em livros. No entanto, o bom disso é que a história foca especificamente naquilo que é mais importante.

Essa é uma leitura rápida: quando você começa, não quer mais parar. Não dá para dizer "só mais um capítulo" e, depois, ir dormir. Você não dorme. E eu sou fraca, fraquíssima para terror, mas não resisti.

Fazer uma resenha não é tarefa simples, ainda mais de uma história como essa, na qual as surpresas precisam ser mantidas intactas para que a leitura faça efeito. Por isso, não darei grandes spoilers.
Judas Coyne é um astro do rock de 54 anos. Sua banda, O Martelo de Judas, apesar de não estarem mais na ativa, ainda faz muito sucesso nos dias atuais. E um retorno nem é possível, já que Dizzy e Jerome, integrantes da banda, estão mortos. Jude ainda se lamenta em um trecho do livro, dizendo que era ele quem deveria ter morrido jovem, e não seus companheiros de banda.

Coyne vive em uma fazenda com seus dois cães: Bonnie e Angus. Os cachorros são muito importantes na história, eu me apaixonei por eles imediatamente. Também conhecemos Danny, o assistente de Judas. Ele é o faz tudo, principalmente ler e responder e-mails. Na fazenda mora também a namorada de Jude, a jovem gótica Geórgia.

Geórgia não é o nome verdadeiro dela. Jude costuma chamar suas namoradas de acordo com suas origens. Então conhecemos a Geórgia, a Flórida (que apesar de aparecer somente nas lembranças de Jude, é minha favorita) e a Tennessee. E, claro, tem o fantasma Craddock McDermott.
Com um gosto peculiar pelo ocultismo, uma publicação em um site de compras e leilão na internet, chama a atenção de Danny. Então ele mostra para Jude que uma pessoa está vendendo um fantasma. Dai você pensa que o Ebay vende de tudo mesmo. Não é esse site citado no livro, mas é algo parecido.

O objeto que está sendo leiloado é o paletó do morto. E, obviamente, isso atrai o interesse de Jude Coyne. Ele dá um lance alto para fechar a compra e adquire o mais novo morto da parada. O paletó chega dentro de uma caixa-preta em formato de coração. Lindo, não é? A partir de então a vida de Jude muda completamente. Até mesmo o clima na fazenda fica diferente, o frio toma conta do lugar, e os cachorros parecem sentir que há algo errado ali.

O fantasma Craddock é capaz de manipular a mente das pessoas, induzindo elas a fazer o que ele diz. A vida na fazenda com esse fantasma começa a ficar cada vez mais difícil.

Subiu a escada e começou a voltar pelo corredor em direção ao quarto. Seu olhar bateu num homem velho, sentado numa antiga cadeira Shaker encostada na parede. Assim que o viu,seu pulso disparou em sinal de alarme. Jude se virou para o lado, fixou o olhar na porta do quarto e só continuou a enxergar o velho pelo canto do olho. Nos momentos que se seguiram, ele sentiu que era questão de vida ou morte não estabelecer contato visual com o homem, não demonstrar que o via. Ele não estava vendo nada, Jude disse a si mesmo. Não havia ninguém ali.

Com Craddock tocando terror na fazenda, Jude cai na estrada com Geórgia e os dois cachorros. Eles estão a procura de uma forma para se livrar do fantasma. Mas Craddock não dá moleza. Muitas coisas acontecem e a partir de então conhecemos melhor a história de Geórgia e também as revelações sobre a antiga namorada de Jude, que surprise! surprise! (Spoiler) é enteada de Craddock. Você acha que eu acabei com a surpresa? Mas ela nem começou.

Judas Coyne se tornou um dos meus personagens ficcionais favoritos. O relacionamento dele com Geórgia também é demais. Ambos não tem papas na língua e protagonizam algumas discussões muito interessantes.

O final de A Estrada da Noite foi bom, mas não espetacular. Confesso que achei um pouco corrido em certos momentos importantes que mereciam mais atenção. Mas eu gostei muito de como se deu o desenrolar da história com o fantasma. Como escritora, eu invejo o taleto de Hill em narrar histórias de suspense e terror. Ele realmente tem o talento de captar sua atenção e te fazer pensar duas vezes antes de olhar para trás no escuro.






Site do autor: Joe Hill

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Sabe porque a galinha atravessou a rua?
Para ler seu comentário na lan house (Tum dum tsss)