sábado, 25 de agosto de 2012

Crônicas: Almoço em Família

Lançamento do livro - Maio 2012 RJ (Olha eu sentada ali na esquenta)



Um concurso foi lançado pela editora Aped e o blog Eu ♥ Livros, e 30 participantes vencedores. O tema das Cronicas era sobre o Almoço em Família. Eu decidi participar por diversão e fiquei feliz por ter sido uma das selecionadas.
Crônicas são difíceis de fazer. Eu acredito nisso. É uma narração curta, onde o autor precisa contar sua historia de forma agradável ao leitor e que também seja agradável para si mesmo ao ler em voz alta. Sempre faço isso, acho que é a maior dica de qualquer escritor.
“É para comer, ou pavê?” – Decidi optar pelo humor, pois, pela minha experiência, almoços em família são sempre divertidas. Como alguns sabem, sou uma mãe babona, minha filha Serena é destaque durante a narrativa, e também uma ligeira crítica as crianças que hoje em dia preferem se trancar no quarto jogando videogame, ao brincar na rua.
E claro, a parte mais aguardada de um almoço em família é a sobremesa. E o pavê, é para comer!


Trecho da crônica:
Vamos comer a sobremesa? Tem pavê.” Gritei pela janela. O pavê foi servido na mesa, ainda no quintal, e meu Tio Juarez, divertido como sempre, soltou sua piada mais antiga. “Mas é pavê? Ou pra comer?”
Todos riam sempre de suas brincadeiras. Ele ajoelhou-se no chão, ficando quase da altura de Serena, perguntando se ela iria comer, imitando a voz de um famoso Pato da televisão.



sexta-feira, 17 de agosto de 2012

Sem desculpas: Leia um livro.


Você já deve ter ouvido alguém dizer o quão importante é ler. É uma forma de adquirir conhecimentos e enriquecer o vocabulário. Desenvolver a imaginação e a interpretação.
A leitura é o pilar de qualquer profissional.
Meu contato com os livros começou cedo. Diferente da juventude de hoje, eu era frequentadora de bibliotecas, da escola e as públicas também. Infelizmente, minha mãe não tinha condições de me comprar os livros que eu queria. Livros no nosso país nunca foram baratos. Mas isso não me impediu de viajar em diversas histórias interessantes desde quando comecei a ler. E de graça.
Qual a importância da leitura? Da educação? Para mim é muito importante. Nos completa e dá uma identidade. Dá o poder as pessoas.
Minha avó materna. Ela não sabia ler e escrever. Lembro-me que quando era menina, eu passava lições para ela. Aquelas do pré, sabe? Passar o lápis por cima das letras, e do Zig Zag.
Minha avó me disse uma vez: Meu sonho era escrever como você faz na escola.
Essa mulher morreu aos 85 anos. Só sabia escrever seu nome. Mas ela me ensinou mais do que qualquer pessoa formada pode ensinar. Minha avó me ensinou a dar valor as menores coisas existentes. E um livro, mesmo aquele com poucas páginas, não é algo pequeno. Pode se tornar enorme quando você o lê.
Depois que comecei a trabalhar, tive condições de comprar livros. E agora, passo isso para a minha filha Serena, de 2 anos.
Só depende de você, obter conhecimentos e ser alguém sem limites.

Poucas pessoas tem o hábito da leitura. Busque histórias com temas que você se identifica. Se gosta de tal filme, porque não ler o livro que deu origem a ele? Procure ir a bibliotecas e visitar livrarias. Mesmo que não tenha dinheiro para comprá-los. Existem muitas livrarias que permitem que o cliente leia os livros a vontade. Por exemplo, aqui em São Paulo tem a Livraria Cultura no Conjunto Nacional. (Avenida Paulista, 2073). Na mesma avenida, existem diversas outras livrarias tão boas quanto.
A recém reformada  Biblioteca Mario de Andrade é outro local onde você pode passar um dia lendo. Fica no Centro de São Paulo (Rua da Consolação, 94 ).
Aceito sugestões de lugares para boa leitura em outros estados. Pode enviar a dica no comentário.
Como eu disse, não existe desculpas para não ler.